segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Municípios da fronteira terão atenção especial do governo



Em Ponta Porã, população queixa-se da falta de segurança nas ruas, e da pequena presença do Estado na cidade fronteiriça
Municípios sul-mato-grossenses localizados na fronteira com Bolívia e Paraguai, que, por causa das evidentes ações de traficantes, têm crimes como assaltos e furtos de certa forma menosprezados pela sociedade, terão atenção especial da nova gestão da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Em entrevista ao Jornal Correio do Estado, o secretário Sílvio Cesar Maluf disse que assim como Campo Grande vivencia onda de violência contra patrimônios, cidades como Ponta Porã, Amambai, Coronel Sapucaia e Corumbá padecem do mesmo problema. E, que, o tráfico de drogas faz com que essa situação de insegurança passe por despercebido. Por isso, pretende trabalhar para reduzir também essas estatísticas.




O secretário ressalta que as cidades acabam em evidência nos noticiários por estarem situadas na porta de entrada para exportação de drogas como cocaína e maconha, mas que medidas serão adotadas no enfrentamento a crimes de outras naturezas. “Nossa preocupação é com municípios da fronteira, que merecem uma segurança como existem nas demais cidades do Estado. Não que tenha havido negligência do poder público. Mas a problemática deles continua sendo a mesma que dos outros. É o roubo de bicicleta, furto de celular, que causam estado de insegurança, às vezes maior que o próprio tráfico. A comunidade de fronteira clama por esse tipo de segurança. Quer proteção a integridade física, da mulher com relação à lei Maria da Penha”, pontuou. 
A reportagem, de Thiago Gomes e Laura Holsback, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

0 comentários:

Postar um comentário