terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Governador sugere levar água do AM para resolver crise hídrica no Sudeste



José Melo comentou crise hídrica do Sudeste do país (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)
Enquanto estados da Região Sudeste do país enfrentam uma crise hídrica, os rios que banham o Norte do Brasil seguem abundantes. Levar água do Rio Amazonas - um dos maiores do mundo - para São Paulo e outros estados que sofrem com falta d'água foi justamente a proposta sugerida pelo governador do estado, José Melo (PROS), nesta terça-feira (3). Para Melo, se obras para o fornecimento fossem realizadas, em dez anos, eventuais crises hídricas poderiam ser solucionadas com utilização das águas de rios que passam pelo estado da Região Norte.
A declaração do governador foi dada durante solenidade que marca o início dos trabalhos da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), em Manaus. Questionado sobre a crise hídrica e energética registrada na Região Sudeste, José Melo disse que o país planejou, mas não executou da forma que deveria as ações para os setores.
"O Brasil tem muitos investimentos no setor de geração de energia e de abastecimento, mas que não andaram na medida e velocidade que deveriam. Sei que existem aí muitas dificuldades de ordem ambiental e financeira, mas eu acho que o Brasil pode resolver esse problema com o Amazonas", avaliou.

A proposta do governador é levar água de rios do Amazonas para as regiões que sofrem com abastecimento, dentre elas, o Nordeste e o Sudeste. Uma das sugestões é utilizar água de um dos mais extensos rios do mundo e de maior fluxo de água por vazão: o Rio Amazonas.
"Eu sou daqueles que entende que a solução passa pelo Amazonas. Você tem o Nordeste Brasileiro com solos extremamente férteis, mas não tem água. E agora o Sudeste do Brasil padecendo da falta de água. A pergunta que deixo para o Brasil é o seguinte: por que não levar água da Foz do Amazonas, que tem em abundância, para o Sul, Sudeste e, sobretudo, para o Nordeste, onde há solos abundantes e ricos? Não precisaríamos levar água todo dia. Quando no período de chuvas resolvessem a questão do abastecimento dos reservatórios, a torneira estava fechada. Quando isso não acontecesse, o Amazonas estaria lá para socorrer", afirmou José Melo.
Segundo o governador, se em médio prazo, o Brasil optasse por levar água do Amazonas para outros estados, nos próximos dez, seria possível criar um ciclo. "Hoje, você vê o petróleo e o gás sair lá dos Urais, percorrer mais de oito mil quilômetros para chegar ao mar da Turquia. Hoje, você vê um gasoduto sair da Bolívia e chegando a São Paulo. Hoje, você vê a China comprando milhares de metros cúbicos de água do Canadá. Não tem dificuldade de solução de engenharia. As tecnologias de transferência estão todas dominadas", enfatizou, sem mecionar detalhes de projetos.

G1amazonas

0 comentários:

Postar um comentário