sábado, 11 de junho de 2016

Polícia Civil incinera 2t de drogas apreendidas em seis meses



A Polícia Civil do Amazonas, por meio de sua Divisão de Recebimento, Análise e Distribuição de Inquéritos e Termos Circunstanciados de Ocorrência e de Armazenamento de Material Apreendido (Drad), realizou na manhã desta sexta-feira, dia 10, a incineração de duas toneladas de entorpecentes, entre maconha e cocaína, apreendidos no período de outubro de 2015 a abril deste ano.

O procedimento teve início por volta das 9h, na sede da empresa Manaus Limpa – Soluções Ambientais, situada na rua Sete de Setembro, bairro Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus. Participaram dos trabalhos servidores lotados no Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), peritos do Instituto de Criminalística (IC), representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), além de batedores da Polícia Militar, que auxiliaram no transporte da mercadoria ilícita.


A diretora da Drad, delegada Leila Silva, destacou que os entorpecentes queimados hoje foram apreendidos ao longo de ações policiais deflagradas pelas instituições que compõem a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM). A autoridade policial informou como são realizados os procedimentos quanto ao recebimento das drogas no departamento até a execução do processo de incineração.

“Quando recebemos esse material, ele é todo registrado por meio de inquérito policial. Posteriormente comunicamos ao juiz. Então a droga é armazenada em um cofre e aguardamos posicionamento da Justiça. Este processo de incineração foi autorizado pelas quatro Varas Especializadas em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (Vecutes) da capital. A partir daí nos organizamos para realizar o trabalho que foi efetuado hoje”, declarou a diretora da Drad.

Leila Silva disse ainda, que durante o procedimento também foram incineradas, aproximadamente, 900 unidades de coletes balísticos que estavam com a data de validade vencida.  

O diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) da instituição, delegado Geraldo Eloi, esteve presente no local onde o procedimento foi realizado. Na ocasião representou o delegado-geral, Francisco Sobrinho. Ele enfatizou a importância da integração das Policiais Civil e Militar no combate à criminalidade em todo o Estado. “Devemos continuar atuante e operacional. O trabalho desempenhado pelas Polícias Civil e Militar, de forma integrada, visa, principalmente, o combate ao tráfico de drogas. Essa é uma determinação do nosso delegado-geral, Francisco Sobrinho, e também do secretário de Segurança Púbica, delegado federal Sérgio Fontes. O procedimento realizado hoje é fruto de um trabalho árduo de investigação e dedicação entre os órgãos que compõem o Sistema de Segurança”, pontuou o diretor do DPM.

0 comentários:

Postar um comentário