terça-feira, 21 de junho de 2016

Tocha Olímpica encerra sua passagem pelo Amazonas na terra das cachoeiras




Emoção e alegria definem a passagem da Tocha Olímpica pelo município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus) nesta segunda-feira, 20 de junho, onde mais de cinco mil pessoas prestigiaram o último percurso da Chama Olímpica no Estado do Amazonas. No município, a Chama Sagrada das Olimpíadas percorreu lugares exóticos da região, como a Cachoeira de Iracema, a Gruta do Galo da Serra e a Corredeira do rio Urubuí.

O primeiro trecho foi a Cachoeira de Iracema e a Gruta do Galo da Serra, onde a Tocha foi conduzida pelo professor Genival Assunção, 39 anos, que se emocionou ao carregar a Chama, em meio às quedas d’águas. “Ficou marcado para sempre na minha vida esse dia. Desde que soube que ia ser um dos condutores, a emoção tomou conta da minha vida e da minha família”, comentou.


O trajeto prosseguiu para o Parque do Urubuí com a participação do jovem Lucas Monteiro, de 15 anos, que conduziu a Tocha em cima do cavalo, em percurso de 380 metros. Lucas é cadeirante e praticante de equoterapia. A sua passagem diante do público reforçou uma das características dos esportes olímpicos: a superação. “Isso fez muito bem para meu filho porque a felicidade era grande em seu rosto. Ele faz equoterapia desde o dois anos de idade e tudo isso representou a força e a garra que ele tem todos os dias de sua vida”, comentou o pai, Josué Monteiro.

Das mãos de Lucas, a Tocha passou para o ex-atleta Zedequias Feitosa, que desceu as Corredeiras do Urubuí de rafti. “Tenho orgulho de poder representar meu município em um evento tão importante como esse para o esporte brasileiro. Nossa missão foi cumprida com sucesso em nossa cidade, agora vamos ver o nosso País brilhar nos jogos”, disse.

Revezamento - A terra das cachoeiras foi o último lugar da Chama Olímpica no Estado. Pela manhã, o fogo esteve no Centro de Instruções de Guerra na Selva (CIGS), na zona oeste de Manaus, depois seguiu para o reduto do boto cor-de-rosa na Comunidade São Tomé, em Iranduba (a 19 quilômetros de Manaus), passando na tribo Dessana, onde foi recebida pelos indígenas, e finalizou na comunidades ribeirinhas de Canoas Caboclas.

Operação de Segurança – A Tocha Olímpica cumpriu seu percurso no Estado com uma boa receptividade da população amazonense. Em dois dias de revezamento, o clima foi de tranquilidade e segurança em todos os trajetos percorridos na capital e nos municípios da Região Metropolitana.


A Operação de Revezamento da Tocha Olímpica pelo Amazonas foi monitorada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), do Governo do Amazonas. Cerca de 40 órgãos, a maioria da área de segurança, das esferas Federal, Estadual e Municipal, atuaram integrados no controle da Operação Revezamento da Tocha Olímpica no Estado, com ações de segurança em via terrestre e fluvial.

1 comentários:

Mota disse...

Parabéns pela reportagem

Postar um comentário