terça-feira, 23 de maio de 2017

Ação conjunta resulta na prisão de dupla no bairro Compensa com meia tonelada de skunk avaliada em R$ 2,5 milhões



Os delegados Paulo Mavignier e Tamara Albano, diretor e diretora-adjunta, respectivamente, do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), comandaram ação policial deflagrada na tarde de segunda-feira, dia 22, que resultou nas prisões, em flagrante, de Bruno Correia dos Santos, 58, e Pedro Galvão de Matos, 24, por envolvimento com o tráfico de drogas no Estado. Com os infratores foram apreendidos, aproximadamente, 500 quilos de maconha tipo skunk, avaliados em torno de R$ 2,5 milhões. A dupla foi apresentada durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, dia 23, às 10h, no prédio da Delegacia Geral, zona Centro-Oeste da cidade.

Conforme Mavignier, os trabalhos foram desencadeados em conjunto com policiais civis lotados no Denarc, Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Fluvial (Deflu) e servidores que atuam na Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai) da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). As prisões ocorreram por volta das 14h.
De acordo com o diretor do Denarc, as investigações em torno do caso tiveram duração de, aproximadamente, dez dias. Os trabalhos foram iniciados após as equipes do departamento receberem delações, informando que uma grande quantidade de substâncias entorpecentes, vindas do município de Japurá, distante 744 quilômetros em linha reta da capital, chegariam a Manaus no último sábado, dia 20, e seriam distribuídas em pontos de comercialização de drogas na capital.
Mavignier destacou que, durante as investigações, os policiais chegaram a uma provável data que esse material chegaria a Manaus. A autoridade policial informou que no último fim de semana as equipes do Denarc, Seai, Deflu e Grupo Fera montaram barreiras fluviais em alguns pontos próximos à capital com o intuito de interceptarem esse material ilícito que estava sendo transportando em uma embarcação.
“Devido às cheias dos rios, aumentam os locais que são utilizadas como alternativas para embarcações fugirem das fiscalizações da polícia. Por essa razão, não obtivemos êxito na apreensão dessa droga. Ontem as equipes do departamento conseguiram levantar informações do estabelecimento onde as drogas estariam armazenadas. Montamos campana no lugar e, no momento certo, realizamos a abordagem. Durante varredura no imóvel encontramos as substâncias ilícitas escondidas no quintal desse lava a jato, acondicionadas em sacolas com características semelhantes às que são vendidas na Colômbia. Com certeza era a droga que estávamos investigando”, afirmou Mavignier.
No momento da coletiva de imprensa a delegada Tamara Albano explicou que as drogas apreendidas estão avaliadas em torno de R$ 2,5 milhões e pertenciam a uma facção criminosa que atua no Estado. A diretora-adjunta do Denarc revelou que já foram identificados alguns integrantes desse grupo, mas as identidades dos infratores não foram divulgadas para não atrapalhar o andamento das investigações em torno do caso.  A delegada ressaltou, ainda, que o Denarc já ultrapassou a quantidade de apreensões realizadas em 2016.    
“Ainda estamos no mês de maio de 2017, mas já ultrapassamos a quantidade de apreensões de drogas efetuadas ao longo de todo o ano passado. Em 2016 o departamento apreendeu duas toneladas. Até o momento já totalizamos 2,1 toneladas de substâncias entorpecentes apreendidas, neste ano. O recorde do Denarc já foi batido”, disse Albano.
Na base do Denarc, Bruno e Pedro foram autuados em flagrante por tráfico de drogas. Após os procedimentos cabíveis no departamento, eles serão levados para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona Sul da cidade. 

0 comentários:

Postar um comentário