segunda-feira, 8 de maio de 2017

Braga venceria se eleição fosse hoje, diz Action

Manaus - A empresa Action Pesquisas de Mercado fez uma pesquisa, entre os dias 17  de abril e 2 de maio deste ano, com um cenário em que os candidatos ao governo seriam  o senador Eduardo Braga (PMDB), o ex-deputado Marcelo Ramos (PR), o senador Omar Aziz (PSD),  o vice-governador Henrique Oliveira (Solidariedade) e  Herbert Amazonas (PSOL). O resultado mostrou que, se a eleição fosse hoje, o senador Braga teria 52,7% dos votos válidos, nas respostas estimuladas dos eleitores, o que lhe garantiria eleição no primeiro turno.
A pesquisa mostra que Marcelo Ramos teria 22% dos votos válidos, Omar Aziz 14,7%, Henrique Oliveira 7,2% e Herbert Amazonas 3,5% . O restante seriam 10% de votos brancos e nulos e 4% dos que não souberam responder. 
A pesquisa foi realizada na zona urbana de Manaus, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Nhamundá, Parintins, Iranduba, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Eirunepé, Envira, Humaitá, Manicoré, Lábrea, Itacoatiara, Silves, Urucará, Caapiranga, Coari, Codajás, Tefé, Boca do Acre, Barcelos e São Gabriel da Cachoeira.


O responsável pela pesquisa e diretor-presidente da Action, Afrânio Soares Filho, disse que a pesquisa foi feita nos municípios que podem retratar um amplo perfil dos eleitores, considerando as calhas dos rios Negro, Solimões, (alto, médio), Amazonas (médio, baixo), Purus, Madeira e Juruá. Foram realizadas entrevistas com 2.445 eleitores. A margem de erro amostral para um intervalo de confiança de 95% é de 2 pontos percentuais, para mais ou menos. 
Afrânio destacou que a pesquisa foi feita antes da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou os mandatos do governador do Estado, José Melo (PROS) e de seu vice, Henrique Oliveira (Solidariedade), que ficaram inelegíveis. Eles foram cassados  por compra de votos nas eleições de 2014. Por maioria de votos (5 a 2), os ministros entenderam que Melo tinha, pelo menos, conhecimento da compra de votos realizada por Nair Queiroz Blair dentro do próprio comitê de campanha do candidato, no dia 24 de outubro de 2014. A empresa de Nair era contratada pelo governo estadual por R$ 1 milhão. Os ministros mantiveram, também, a multa solidária de R$ 53 mil, aplicada contra o governador e seu vice. O TSE determinou a comunicação imediata ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) para que sejam realizadas novas eleições diretas para os cargos.

Eleição 2017
Após a publicação do acórdão sobre a decisão do TSE que cassou os mandatos de Melo e Henrique, o  Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-) terá 40 dias para definir o calendário da nova eleição para o governo do Estado. O prazo só começa a correr quando o órgão for notificado.
O presidente do TRE, desembargador Yêdo Simões, informou  que a notificação também vai permitir que o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, David Almeida (PSD), assuma o governo, até a realização da eleição.
Segundo o TRE, as regras da nova eleição serão as mesmas de todas as eleições. Haverá convenções partidárias, prazos para registro de candidaturas, propaganda eleitoral, entre outros, tudo definido em um calendário eleitoral, assim como a data da votação. A expectativa é que o processo de organização da eleição dure, aproximadamente, 90 dias.

Fonte:D24am


0 comentários:

Postar um comentário