sábado, 10 de junho de 2017

Em Manaus, encontro discute a malária e apresenta novo medicamento



Manaus – Manaus recebe, deste domingo (11) até quarta-feira (14), a ‘6ª Conferência Internacional sobre Pesquisa de Plasmodium vivax’. Essa é a primeira vez que o evento é realizado no Brasil. Durante quatro dias, mais de 400 cientistas de mais de 30 países estarão debatendo os desafios e estratégias para o controle e eliminação do Plasmodium vivax, parasita transmissor do tipo mais incidente de Malária no mundo. Na Conferência serão apresentados os resultados da pesquisa com a Tafenoquina, novo medicamento contra Malária, que reduz o tempo de tratamento do paciente, de sete para apenas um dia.
A malária é uma das doenças com maior incidência no Amazonas. De acordo com o Sistema de Informações de Vigilância Epidemiológica (Sivep Malária), do Ministério da Saúde, em 2016, foram notificados, em Manaus, 8.476 casos de malária.

No domingo, a Conferência inicia com uma série de cursos que ocorrerão de 9h às 18h, no Wyndham Garden Hotel, na Ponta Negra (na mesma área do Tropical Hotel Manaus). A solenidade de abertura oficial do evento será às 19h30, no Tropical Hotel (área do Centro de Convenções – Salão Rio Solimões). De segunda a quarta-feira, as apresentações dos resultados de estudos e pesquisas ocorrerão na área de convenções do Tropical Hotel, de 9h às 19h30.
A apresentação dos resultados da pesquisa com a nova droga para o tratamento da malária será na segunda-feira, de 11h30 às 13h30. O estudo com a nova droga foi coordenado pelas empresas Medicines for Malaria Venture (MMV) e Glaxo Smith Kline (GSK), e financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates. A pesquisa envolveu a participação de centros de estudos de cinco países – Brasil, Indonésia, Tanzânia, Peru e Tailândia. No Brasil, o projeto contou com a colaboração da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), de Manaus, e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), de Porto Velho-RO.
Em Manaus, os testes foram realizados com a participação de 100 pacientes. O estudo foi desenvolvido no período de 2014 a 2016. O diretor de Ensino e Pesquisa da FMT-HVD e membro do comitê organizador da Conferência, em Manaus, Marcus Lacerda, explica que, atualmente, o tratamento da malária é feito com a terapia combinada de dois antimaláricos (cloroquina e a primaquina). “O novo medicamento vai substituir a primaquina e passa a ser administrado em dose única”, detalha o pesquisador. A expectativa, segundo ele, é de que, em breve, a Tefenoquina seja incorporada pelo Ministério da Saúde no tratamento contra a malária, na rede pública.
Desafios
Durante a Conferência, os pesquisadores vão discutir os desafios para que seja alcançada a meta estabelecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para eliminação da doença, em pelo menos 35 países, até 2030. Outros temas que estarão em pauta são: o acesso ao tratamento, a epidemiologia e vigilância, o mapeamento e novas intervenções em transmissão, imunidade e o desenvolvimento de vacinas.
Os pesquisadores que participarão da Conferência terão a oportunidade, no domingo pela manhã, de conhecer as instalações e os trabalhos realizados em Manaus, na FMT-HVD, que é referência, no País e internacionalmente, em pesquisa e nas áreas de diagnóstico e tratamento de doenças infectoparasitárias e tropicais, como a Malária.
A diretora presidente da FMT-HVD, médica infectologista Graça Alecrim, ressalta a importância do evento para o avanço das pesquisas sobre a malária e para o estabelecimento de novas estratégias para o combate à doença. “Ser sede de um evento desse porte fortalece ainda mais o caráter estratégico que a FMT assumiu nas últimas décadas, no cenário da pesquisa internacional”, destacou.

0 comentários:

Postar um comentário