terça-feira, 11 de julho de 2017

Ação conjunta resulta na apreensão de 1 t de drogas avaliada em R$ 7 milhões, além de armas e munições de grosso calibre



Três homens foram presos, em flagrante, durante ação conjunta envolvendo policiais civis lotados no Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Fluvial (Deflu) e servidores da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). O fato ocorreu na tarde de segunda-feira, dia 10, no Porto de Beruri, município distante 173 quilômetros em linha reta da capital. Com o trio os policiais apreenderam uma tonelada de drogas, avaliada em R$ 7 milhões, além de armas e munições de grosso calibre.

Idelberto Mafra, 61; Osmar Silva Bastos, 56, e Carlos Cesar Costa Dias, 49, foram presos por volta das 17h30, no momento em que a embarcação em que eles estavam atracou no Porto de Beruri. O trio, juntamente com o material apreendido durante a ação, foi apresentado durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, dia 11, às 10h30, no prédio da Delegacia Geral.
Conforme a delegada Tamara Albano, diretora-adjunta do Denarc, as investigações em torno do caso iniciaram há seis meses, pelos servidores da Seai, e ocorreram em parceria com as equipes do Denarc. A delegada explicou que na manhã de ontem, por volta das 10h, os policiais montaram campana nas proximidades onde ocorreu o flagrante e passaram a monitorar o lugar. No momento em que avistaram o barco Capitão Jonatas, em que os infratores estavam, efetuaram a abordagem. A autoridade policial informou como a ação foi deflagrada.
“No último fim de semana obtivemos a informação de que esse grupo criminoso estaria em Beruri e viria para Manaus com uma quantidade relevante de entorpecentes e armas de fogo. Diante das informações, nossas equipes se dirigiram até o município e, no porto daquela cidade, de posse das características do barco, realizaram a abordagem”, disse Tamara.
No porão do barco os policiais encontraram uma tonelada de entorpecentes, sendo 982 quilos de maconha do tipo skunk e 18 quilos de oxi. Na embarcação também foram apreendidas três espingardas calibre 12, um fuzil 762, além de 30 munições de calibre 762, 18 projéteis intactos de calibre 12, 10 munições de calibre 380, um lançador de granada e uma granada.
A diretora-adjunta do Denarc informou que no momento em que as equipes policiais retornavam para Manaus, por volta das 21h, perto da Comunidade Boca do Jacaré, nas proximidades de Manacapuru, município distante 68 quilômetros em linha reta da capital, uma lancha com dois homens a bordo, ainda não identificados, ficou bem próxima à lancha onde os servidores estavam e os ocupantes efetuaram disparos de arma de fogo contra as equipes policiais, que acabaram revidando ao ato dos infratores.
“No retorno para Manaus, já no período da noite, as equipes perceberam que uma embarcação com dois indivíduos se aproximou das lanchas em que os policiais estavam e os dois homens que ocupavam a outra embarcação, de pequeno porte, efetuaram disparos contra as equipes. Houve confronto e os indivíduos, ainda não identificados, foram a óbito durante o conflito com a polícia. Os corpos dos dois homens foram levados ao Instituto Médico Legal (IML)”, explicou Albano.
A lancha onde estavam os dois infratores foi apreendida durante a ação. Uma espingarda calibre 12 e uma pistola 380 foram apreendidas na embarcação. A autoridade policial informou que, a partir de um trabalho investigativo, foi constatado que os dois infratores mortos durante a ação teriam sido contratados por um colombiano para fazerem a escolta dos entorpecentes até Manaus.
“Já temos a identidade do proprietário dessa droga apreendida, mas não iremos divulgar para não atrapalhar as investigações em torno do caso, que ainda estão em andamento. Esse foi mais um trabalho exitoso da Polícia Civil, em parceria com a Seai. Foi uma perda substancial para o crime organizado”, pontuou a diretora-adjunta do Denarc.
O coordenador do Grupo Fera, investigador Edilei Rodrigues, presente na coletiva de imprensa, destacou como foi a abordagem policial que resultou nas mortes dos dois infratores. “O valor dessa droga é muito alto. Com isso, o crime organizado acaba investindo na segurança do transporte desse material até o destino final. Os dois indivíduos estavam utilizando armas de grosso calibre. Não foi uma abordagem simples, pela instabilidade, por ter sido no meio do rio e no período da noite, mas os policiais do Grupo Fera são bem preparados para esse tipo de abordagem, dentro das técnicas as quais eles são treinados, conseguiram reagir e o resultado foi exitoso no confronto com os infratores”, ressaltou.
Na base do Denarc, Carlos, Idelberto e Osmar foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse irregular de arma de fogo de uso restrito. Ao término dos procedimentos cabíveis no departamento, o trio será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona Sul da cidade.

0 comentários:

Postar um comentário