sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Contos Jambo Verde - O Tripa do Boi Mina de Ouro



 
O mês era Junho, o ano nem sei dizer ao certo. Mas, se não estou errado, era lá pela década de 80. Naquela época, a cidade de Atalaia do Norte, ainda comemorava do jeito tradicional as festas populares.
Uma delas era o Boi bumbá que atraia toda molecada para as rodas nas praças da cidade. Eu, ainda muito menino, lembro-me do afamado “Boi Mina de Ouro”, que tinha como amo Sabá Roque. Grande incentivador da cultura atalaiense.
Mas, o que eu vou lhes contar, se passou num dia, em que foi anunciado na cidade que o Boi Mina de Ouro ia se apresentar.

Então, a noite chegou, a Praça São Sebastião estava tomada de gente querendo ver o tal boi. De repente, se ouve uma cantoria. Era o Boi do Sabá Roque que despontava lá perto da Prefeitura velha, subindo a ponte de madeira 1º  de Maio. Sabá vinha à frente conduzindo seu belo Mina de Ouro.
E cantavam uma toada assim:

- Chegou, chegou...Chegou para dançar, o Boi Mina de Ouro... Campeão desse lugar!

E a multidão aumentava ainda mais. A Praça já estava tomada pela população, que aplaudia maravilhados cantavam também os versos.

Em grande roda, Sabá Roque, chamava em voz alta todos os personagens da brincadeira.

-Senhoras e Senhores, agora com vocês... Pai Francisco, Catirina e Gazumbá!
-Aplausos!

A meninada ia ao delírio. Já entrava na roda fazendo graça e divertindo a todos! Nesse momento, entra também a Sinhazinha da Fazenda e dona do Boi.
E por último, Sabá, chama com orgulho o “Mina de ouro” para fazer sua apresentação. Lembro-me também, que a rapaziada era movida a pinga, a afamada Santa Cruz, que enganava pelo seu cheiro agradável.
Só que quando se via já estava “xirrado”. E a cantoria não cessava nem um instante. Até que Sabá anuncia a morte do querido Mina de Ouro. Já que a Catirina sentia desejo de comer a língua do boi bem guisadinho.
O Tripa do Boi era nada mais e nada menos, que Nego Chico, que também estava para lá de Bagdá. Cheio da Santa Cruz. Foi quando Sabá Roque, entoou assim:

-Atira Chico atira, não perde a pontuação... Atira Chico atira nesse nosso Campeão!!!

E Pai Francisco atirou... Matando o Mina de Ouro. Roubando a língua para satisfazer a vontade de sua amada Catirina, ficando o terreiro uma tristeza só. Depois que o Amo do boi repartiu as partes do boi, ofertando a cada celebridade da cidade. Já no final da apresentação, quando o boi foi ressuscitado, Sabá entoou mais uma toada assim:

-Alevantou, alevantou, alevantou para dançar......Levanta boi!

E nada do Boi Mina de Ouro levantar, insistindo na cantoria. Foi aí, que Sabá manda que os assistentes levantem o boi. Só que para surpresa de todos,  o Tripa do boi estava no maior sono.
Que nem com grito fazia desperta-lo do sono regada a Pinga Santa Cruz! E foi uma grande gargalhada do povo ali presente.

De fato, isso aconteceu na Perola do Javari. E só perguntar ao Sabá Roque!

0 comentários:

Postar um comentário