sábado, 28 de abril de 2018

Contos Jambo Verde - O empurrão no locutor


Este fato se passou no tempo em que o futebol era levado muito à sério. Lá pelos anos de 1987, quando em uma tarde ensolarada, à beira do Estádio Municipal Tenente Lucena, conhecido pelo pessoal da pelada como “Peladão”, ocorria uma partida das preliminares entre Fluminense Futebol Clube e “Chixuacha Esporte Clube”.

Bastava anunciar um clássico local, que no entorno do campo lotava. Os visitantes assistiam sempre as partidas atrás do gol, do alto de um barranco, ou em cima do pé de ingá – considerado como área vip entre a molecada.
Também estavam na tribuna de honra, heróis de um futebol que marcou época. Entre eles o seu Sarica; vascaíno roxo que chutava o vento a cada ataque de seu time e seu Serafim; grande futebolista lá das bandas de São Paulo de Olivença, radicado há muito tempo em Atalaia.

O JOGO

Chixuacha era encabeçado pelo lendário da canhotinha de ouro João Benjamin, e a galera do futebol veterano. Já o Fluminense tinha o comando de Antônio Nunes, popularmente conhecido como “mano velho”.
Como era de lei, a turma da cachaça Coquinho já estava a todo vapor do outro lado do estádio. A emoção era tão grande que a velha cachaça Santa Cruz - aquela que vinha no engradado de madeira – tampouco foi lembrada pelos fanáticos.

Foguetes eram disparados e a alegria tomava de conta do estádio... e começa a partida!
Nesse momento, o jogo estava equilibrado com toques de classe e, de repente, aparece um dos primeiros narradores esportivos do “Peladão” no meio da torcida.
Seu Beto, que emocionado com a partida, narrava assim:

- E, começa a partida no estádio Tenente Lucena, zero a zero e a torcida vibra...

Foi aí então que a empolgação tomou conta de seu Beto, já que o público estava todo lhe ouvindo.

-Pegou a bola com categoria o meu compadre César bodó, comeu um... comeu dois... comeu três e...

O que Seu Beto queria narrar, era que seu Compadre Cesar estava driblando todo mundo.
Quando seu Beto foi narrando mais um drible de seu compadre Cesar bodó, um anônimo, e muito gaiato, saiu do meio da torcida, empurrou com tanta força o narrador, que foi parar no meio da rede do gol.

Sem perder a postura, seu Beto esqueceu o drible e soltou um palavrão daqueles:

-Vai, vai, empurrar a tua mãe, seu filho da p***$% @!%*

Depois de muitas palavras sutis ao anônimo, seu Beto continuou a narrar o jogo com muita emoção.

De fato. Isso aconteceu na cidade de Atalaia do Norte.

0 comentários:

Postar um comentário