quinta-feira, 7 de junho de 2018

Contos Jambo Verde - O Discurso


No tempo em que as “barrancas” do Javari, era muito movimentada. Lá, pelos anos 90. Atalaia do Norte, se encontrava em pleno período eleitoral. E os candidatos, se desdobravam para convencer o eleitor. Seguidamente, os candidatos de oposição ou da situação, subiam os Rios para o “Forró bodó” com os ribeirinhos, já que naquele tempo era permitido quase tudo.


Naquela época, ainda era permitido brindes, que iam, de dentadura a sacola de rancho, batons, réguas, canetas, chaveiros, dentaduras, camisetas, e até levar artistas regionais para cantar nos comícios.
 Só que havia uns candidatos a vereador, que gostavam de fazer campanha separado do majoritário. 

Nesta época, havia candidatos que trabalhavam na FNS, a antiga Fundação Nacional de Saúde, que há seis meses não viam a cor do dinheiro, porque salário estava atrasado.

Um desses funcionários era o “Coroa”. Sim, o da Dona Luzia. Certa vez, ele, o finado Paixão, que Deus a tenha, Bel, Evan e Izildo. Resolveram sair pelo beiradão fazendo campanha para o Coroa, que era candidato a vereador, apoiado pelos guardas de endemias da época.

 E assim saíram em comitiva, num Canoão movido a um rabeta PEC, PEC rio acima.
Visitaram muitas comunidades. Tudo isso, regado a cachaça “Tatuzinho”.

À tarde, voltaram, e ao desembarcar, foram tomar mais uma “meiota” no Bar o Alcino. Certa altura, todos já meio lombrados.

Coroa empolgado começa a fazer um discurso inflamado:

-Barbaridade! Há seis meses que não vejo a cor do nosso dinheiro...

E os parceiros começaram a aplaudi-lo, começando a aglomerar o povo no local!

-Nossos filhos estão passando fome. Isto é uma barbaridade!

Nesse momento, caiu mais uma “meiota”. E haja discurso!

-Nossas mulheres, mandam os filhos comprarem “comida” no comercio, o patrão vira “descontas”... Barbaridade!

E haja aplausos!

-É por isso, meu povo, que eu sou candidato...

O candidato a vereador Coroa, termina se discurso inflamado, passando a palavra para seu cabo eleitoral Evan.

- E nesse momento, passo a palavra para meu amigo Evan!

Evan, emocionado, não consegui conter suas lagrimas de emoção, pelo alto discurso de Coroa, ao mesmo tempo emocionado, disse em lágrimas:

-Coroa meu amigo, você disse tudo. E não tenho mais palavras!

O povo que tinha cercada o candidato, aplaudiu fortemente, pelas belas palavras proferidas. Assim, durante toda noite, que entrou pela madrugada, muitas garrafas de pinga foram consumidas.

De fato, isso aconteceu na cidade de Atalaia do Norte!


0 comentários:

Postar um comentário