quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Carlos Alberto é reconduzido à presidência da comissão de Jovens, Crianças e Adolescentes da Aleam



Em reunião conjunta com os 24 deputados estaduais, na tarde de terça-feira (7), os parlamentares aprovaram o realinhamento das comissões técnicas da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Entre as medidas aprovadas pelo colegiado, o republicano Carlos Alberto (PRB) foi reconduzido à presidência da comissão de Jovens, Crianças e Adolescentes para o biênio 2017/2018. O cargo já era exercido pelo deputado desde o início de seu terceiro mandato, em 2015.
“Sinto-me honrado por continuar à frente dessa comissão que tenho presidido até aqui. Tenho absoluta certeza de que eu e minha equipe técnica vamos imprimir um ritmo ainda maior e diferenciado em favor dos direitos dos menores. Permaneço como um porta-voz das crianças e adolescentes do meu Amazonas.

Em 2016, por exemplo, a comissão promoveu palestras sobre violência sexual, gravidez e uso de drogas, alcançando mais de 5 mil crianças e adolescentes de escolas públicas e particulares.
Falando em escolas, maior enfoque das ações de Carlos Alberto, as Audiências Públicas trouxeram ao parlamento estadual, e também às cinco zonas de Manaus, discussões com temática à proteção dos menores tendo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) como ferramenta de amparo legal.
Ainda na esteira de ações educacionais, o deputado promoveu, no ano passado, o projeto “Caravana Social”, que une o poder público ao privado para assistirem não apenas os menores, mas também suas famílias por meio de atendimentos social, jurídico e de saúde.
Essas ações repercutiram em todo o país e pela primeira vez Manaus sediou um encontro nacional de legisladores e frentes parlamentares que militam em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Os políticas discutiram por dois dias as ações desenvolvidas em cada Estado da federação e que contribuem para a promoção do bem-estar social de menores. No final dos debates um documento foi elaborado e será base para futuras cobranças junto aos poderes, em Brasília.

0 comentários:

Postar um comentário