quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Deputado Carlos Alberto destaca homenagem e aniversário de 46 anos do Colégio Militar de Manaus



O deputado estadual Carlos Alberto (PRB) destacou nesta quinta-feira (3), no plenário Ruy Araújo da Assembleia Legislativa (Aleam) o recebimento do diploma de ‘Amigo do Colégio Militar de Manaus (CMM)’, que ocorreu na noite da última quarta-feira (2), durante a solenidade alusiva ao 46º aniversário da instituição de ensino, no Centro de Manaus.


“Quero parabenizar os 46 anos do Colégio Militar de Manaus. Na oportunidade também quero agradecer o convite e o diploma que recebi dessa instituição importante para o nosso Estado. Vale lembrar que o colégio sempre esteve em destaque, às famílias, professores e os alunos só ganham com esse trabalho espetacular. A forma e a maneira que o Exército Brasileiro passa conhecimento didático e caráter para os jovens é único aqui no Amazonas”, disse o parlamentar.

Na noite da última quarta-feira, o general Geraldo Miotto, titular do Comando Militar da Amazônia (CMA) também explicou que o Exército Brasileiro vai continuar trabalhando para que os alunos do CMM continuem em destaque e nos primeiros lugares. “A mensagem que eu deixo aqui é que vamos continuar com a mesma estrutura de ensino para nossos alunos e que forma 100 estudantes todos os anos em universidades públicas”, frisou o comandante do CMA, que agradeceu a presença do deputado estadual Carlos Alberto na cerimônia.


Colégio Militar de Manaus
Criado pelo Decreto-Lei nº 68.996, de 2 de agosto de 1971, o CMM inaugurou suas atividades em 7 de abril de 1972, tendo como idealizador e primeiro comandante o coronel do Exército Brasileiro (EB) Jorge Teixeira de Oliveira, sendo o oitavo colégio militar fundado no Brasil. Desde sua criação o Colégio Militar de Manaus é único estabelecimento de ensino deste gênero na Amazônia, projetou-se no cenário da Educação, destacando-se como uma das mais tradicionais e bem equipadas escolas para os ensinos Fundamental e Médio, sendo pioneiro no Ensino a Distância na Amazônia.

0 comentários:

Postar um comentário